Renault afunda 7% na bolsa de Paris depois da Fiat cancelar fusão

A Fiat anunciou esta manhã que decidiu recuar no negócio devido à falta de “condições políticas em França”. A poposta de fusão foi lançada no dia 27 de maio e foi bem recebida tanto pelo Governo francês (que detém 15% da Renault), como pelo Governo italiano. A Renault já afundou 7,01% na bolsa de Paris na sessão desta quinta-feira, 6 de junho. Neste momento desce 6,81% para 52,37 euros no índice CAC 40. Na bolsa de Milão, a Fiat Chrysler também está a negociar em terreno negativo: perde 1,21% para 11,558 euros. A Fiat anunciou esta manhã que decidiu recuar no negócio devido à falta de “condições políticas em França”. A poposta de fusão foi lançada no dia 27 de maio e foi bem recebida tanto pelo Governo francês (que detém 15% da Renault), como pelo Governo italiano. Os executivos da FCA estiveram reunidos esta noite, sob a presidência de John Elkann, e garantem que a empresa “continua firmemente convencida da convincente lógica transformacional de uma proposta que tem sido amplamente prezada desde que foi submetida”. Em comunicado divulgado esta manhã, a Fiat Chrysler refere também que essa sugestão de fusão, apresentada pela própria multinacional, tinha uma “estrutura e termos” que eram cuidadosamente equilibrados para oferecer benefícios substanciais a todas as partes”. Na nota agora tornada pública, os administradores da FCA asseguram que continuarão a cumprir os compromissos através de uma “estratégia independente” e prestam ainda os “sinceros agradecimentos” à Renault, em especial ao chairman e CEO da fabricante francesa, bem como aos parceiros Nissan e Mitsubishi, pelo “empenho construtivo” durante este processo.
Ler 86 vezes
Avalie este item
(0 votos)

About Author