Aeroporto de Nacala está a ter o seu melhor ano desde a sua construção em 2014 Featured

O director-geral do Aeroporto Internacional de Nacala, José Candrinho, diz que a infra-estrutura está a ter o seu melhor ano desde a sua construção, em 2014. José Candrinho aponta o aumento do número de voos das Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) e a entrada da Ethiopian Mozambique como indicadores de que a situação está a melhorar. O Aeroporto Internacional de Nacala é um dos maiores de Moçambique e não tem conhecido o movimento que se esperava. Inaugurado em 2014, só está a ter uma utilização de 4 por cento da sua capacidade, em relação ao que se previa, apesar dos elevados custos, incluindo os de manutenção. A infra-estrutura foi projectada para atender a uma média de 500 mil passageiros e manusear 5 mil toneladas de carga por ano. Até há bem pouco tempo só chegavam ao aeroporto dois voos domésticos por semana, na rota Maputo-Nacala, e dois particulares da mineira Vale Moçambique, todos operados com aviões da construtora brasileira Embraer. A conversão de aeroporto militar para comercial foi feita em 23 meses pela companhia brasileira Odebrecht, com um investimento aproximado entre 125 e 200 milhões de dólares norte-americanos. Entretanto, o presidente da Aeroportos de Moçambique, Emanuel Neves, está esperançado que o aeroporto de Nacala comece a receber voos internacionais este ano, na sequência da reorganização do sistema aero-portuário do país, em resultado da redução para apenas três o número de aeroportos moçambicanos que passam a receber voos internacionais.
Ler 27 vezes
Avalie este item
(0 votos)

About Author