Governo olha para Investimentos como solução do défice do orçamento de eleições

O governo continua à procura de financiamento para suprir o défice do orçamento para as eleições gerais deste ano, que, segundo dados iniciais, está avaliado em cerca de 50% das necessidades para o processo. Quando faltam pouco menos de três meses para as eleições gerais, o governo ainda não garantiu o financiamento total do processo. Dados iniciais estimavam o custo total do processo eleitoral em 14.6 mil milhões de meticais necessários. Deste valor, o executivo tinha garantido 6.5 mil milhões de meticais, equivalente a 44 por cento, até o primeiro trimestre deste ano, e desde então, procurava apoio para os cerca de oito milhões de défice. O Ministro da Economia e Finanças, Adriano Maleiane, disse este domingo à nossa reportagem, que ainda não está garantido o financiamento do défice. “A Comissão Nacional de Eleições foi revisitar o orçamento. Diminuiu um pouco, mas ainda estamos a negociar parte do financiamento” explicou Maleiane, àsaída de uma audição parlamentar na Comissão dos Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos e de Legalidade. Enquanto vai batendo as portas de possíveis financiadores, o governo mantém-se cauteloso e já trabalha com dois cenários distintos. Caso surja um financiamento externo, poderá pedir um orçamento rectificativo, caso contrário, o caminho é sacrificar alguns projectos. “Estamos a trabalhar. Se chegarmos a conclusão de que conseguimos ter um financiador, seria justificável submeter um orçamento rectificativo, caso contrário, vamos ter que encolher de algum lado na despesa” explicou o ministro, apontando o caminho para corte de algumas despesas. “Infelizmente, na despesa não há muito para apertar, tínhamos que sacrificar nalgum investimento que já é pouco, mas como as eleições são, também, um investimento na democratização, teremos que fazer” justificou. Recorde-se que as eleições gerais, que este ano terão como novo elemento, a eleição de governadores provinciais, estão agendadas para o dia 15 de Outubro.
Ler 41 vezes
Avalie este item
(0 votos)

About Author