“ouro branco” frustra expectativas

O volume das receitas de exportação de fibra do algodão esteve aquém do esperado na safra agrícola do ano passado. O encaixe financeiro foi de apenas 16.2 milhões de dólares, muito abaixo de 50 milhões de dólares, inicialmente previstos. O sector do algodão exportou cerca de 25 mil toneladas na campanha agrícola de 2017/2018, abaixo das 30,4 mil toneladas previstas, ou seja, uma taxa de realização na ordem de 83%. O baixo volume de vendas no exterior do chamado “ouro branco” ditou, igualmente, menor encaixe em receitas para o Estado. Dados do Instituto do Algodão de Moçambique indicam que o sector amealhou apenas 16.2 milhões de dólares, contra 50 milhões de dólares da previsão inicial. Concretamente, as exportações desta cultura de rendimento situaram-se nos 9,450 toneladas, contra a projecção de 30,400 toneladas. O algodão foi vendido ao preço médio de 1720 dólares por toneladas. A baixa performance deste sector, segundo o Instituto do Algodão de Moçambique, deveu-se à más condições climatéricas, que influenciaram nos níveis da produção global do algodão que situou-se nas 65,6 mil toneladas, ou seja, um incumprimento em cerca de 17% da meta. Para 2019, prevê-se igualmente uma safra baixa, desde o número de produtores, produção até ao volume de exportações.
Ler 81 vezes
Avalie este item
(0 votos)

About Author