Gildo Mugabe

A Cidade do Cabo, localizada na vizinha África do Sul, parou há dias para testemunhar a inauguração do maior museu de arte contemporânea de África. Denominado Zeitz Museum of Contemporary Art Africa (Zeitz MOCAA), o mesmo foi projectado por Heatherwick Studio, de Londres, está localizado no V&A Waterfront, um porto revitalizado que é um dos pontos mais visitados de Cape Town e que atrai cerca de 100 mil pessoas por dia.

O Zeitz Museum of Contemporary Art Africa (Zeitz MOCAA) trata-se de um empreendimento com cerca de 9.500 metros quadrados distribuídos por nove andares e que foi literalmente esculpido a partir da monumental estrutura do complexo de silos de Cape Town, que data de 1921. A construção histórica, que um dia foi o prédio mais alto da África do Sul, não era utilizada desde 1990 e ganha agora nova vida graças a uma transformação única.

Na área desenvolvida, 6.000 metros quadrados são vocacionadas para espaço expositivo, dividido em 100 galerias, um jardim de esculturas na cobertura, áreas de armazenamento e conservação de última geração, uma livraria, um restaurante e um bar, além de diversas salas de leitura.

O museu também irá abrigar centros de moda, fotografia, curadoria, práticas performativas, educação artística e um espaço dedicado a Moving Image (imagens em movimento).

O investimento de 500 milhões de rands foi anunciado em Novembro de 2013, e ganhou vida graças a uma parceria entre o V&A Waterfront e o empresário e coleccionador de arte alemão Jochen Zeitz, antigo CEO da Puma.

 

Um marco cultural que valoriza artistas africanos

 

Na cerimónia de abertura foram utilizadas todas as 100 galerias do museu e exibidos tanto trabalhos da Zeitz Collection, colecção privada de Jochen Zeitz, como a Zeitz MOCAA Collection, colecção permanente que está a ser desenvolvida pelo Museu.

Uma das exposições exibidas no local foi a de Luanda, Encyclopedic City, do artista angolano Edson Chagas. A instalação é composta por imagens da sua série fotográfica Found Not Taken (2009-2013), que pauta o contexto urbano de Luanda e que foi vencedora do Golden Lion Award da 55.ª Bienal de Veneza, em 2013.

Também esteve patente a série Faces & Phases, da fotógrafa e activista sul-africana Zanele Muholi, que chama a atenção para causas LGBT. Os seus retratos a preto e branco representam vidas que foram historicamente marginalizadas e que experimentaram colectivamente os horrores da homofobia e da violência.

Além destes dois exemplos, existe igualmente uma vasta selecção de outros trabalhos que poderão ser vistos no Museu nos primeiros meses de exposição.

Da preservação da arquitectura de um prédio histórico ao desenvolvimento de uma instituição cultural sem fins lucrativos que preserve, desenvolva e estimule a criatividade, o Zeitz MOCAA é um marco cultural muito importante que vai certamente contribuir para uma mais forte e melhor apreciação da herança sul-africana.

Stellenbosch é um destino turístico ideal e encantador, onde o contacto com a natureza proporciona um ambiente de relaxamento único. Localizada em Cape Town, na África do Sul, Stellenbosch ostenta grandes terrenos vinícolas onde se pode degustar os melhores vinhos produzidos na terra de Madiba.

 

A África do Sul ocupa actualmente um lugar de destaque no ramo de turismo e os motivos vão muito além das belíssimas paisagens e da famosa Table Mountain, conjunto de montanhas em formato de mesa que pode ser visto de vários pontos da região.

O enoturismo, ou o turismo relacionado com a arte da produção do vinho, tem levado muitos visitantes àquele país, que se localiza no extremo sul do continente africano.

A África do Sul está entre os 10 maiores produtores de vinho do mundo e estima-se que há cerca de 340 vinícolas em todo o país, que tem a Cidade do Cabo (Cape Town) e Johannesburg como principais cidades.

Entretanto, para quem vai desfrutar do melhor que a rota dos vinhos proporciona, por que não visitar Stellenbosch? Stellenbosch é a segunda colónia europeia mais antiga na África do Sul, após a Cape Town e fica na província do Cabo Ocidental, distando cerca de 50 km da Cidade do Cabo. Aqui pode-se encontrar a primeira adega subterrânea construída no hemisfério sul, a Bergkelder/Fleur Du Cap.

Por conta das altas temperaturas do continente africano, a adega foi projectada com o intuito de manter a temperatura ideal da produção de vinhos. O diferencial em Stellenbosch é a harmonização que a adega Bergkelder faz do vinho com sais.

Stellenbosch conta com diversos hotéis para acolher até o visitante mais exigente.

Dos vários locais existentes, pode-se destacar o Asara, em Stellenbosh. É uma vinícola que possui hotel e espaço para eventos (por exemplo, casamentos chiques). O hotel é muito lindo, o restaurante é maravilhoso. Tem ainda o Spier, um lugar simples e bom para relaxar, uma opcão ideal para quem tem crianças. Outra opção de pousada com bom custo-benefício é a Zorgvliet Wines Country Lodge, uma vez que se encontra bem localizada para quem pretende sair e explorar Stellenbosch. Para quem pretende dormir na cidade, a Bonne Esperance Guest House é uma linda casa vitoriana transformada em pousada e fica perto da Universidade de Stellenbosch.

 Confira as 10 melhores vinícolas em Stellenbosch

Rust en Vrede  – Uma das favoritas. Tem um restaurante bom para almoçar, culinária francesa moderna. São especializados em produzir apenas vinho tinto.

Asara  – Vista linda do Vale com restaurante maravilhoso! Esta propriedade é muito gostosa, tem também um café com docinhos, vale a pena a visita.

Jordan  – Spot favorito para quem gosta de vinhos brancos, propriedade linda e o restaurante é também muito bem recomendado!

Delaire  – Pense numa vista sen-sa-cio-nal, onde você pode experimentar vinhos, fazer massagem no SPA e até comprar diamantes.

Tokara  – Degustação de vinhos e azeites feitos na propriedade. Quem compra uma garrafa de vinho, ganha a degustação de vinhos grátis.

Zorgvliet  – Pequena e exclusiva propriedade, com um bom custo-benefício se quiser passar a noite.

Spier  – Super-turística. Com certeza uma das maiores, uma enorme infraestrutura, tem vários salões de degustação com diferentes abordagens, tem muito jardim e é uma boa opção para picnics, com opções de lazer infantil.

Clos Malverne  –  Lá tem degustação de vinhos pareados com sorvete durante os dias da semana. Sim, vinho com sorvete! Pousada linda e intimista, com SPA e piscina.

Overgaauw  –  Tria Corda é o vinho favorito por aqui. Esta vinícola tem mais de 100 anos de fundação e está na mesma família há 4 gerações. Pequena propriedade, a degustação é apenas com reserva, então confirme via telefone antes de sair.

Waterford  – Aqui pode-se fazer três tipos de degustações: vinhos com chocolates e até uma degustação com “safari” na fazenda. Nessa última opção você anda num carro aberto de safari, passando pela fazenda e degustando os vinhos ao longo do caminho.

Quarta-feiray, 08 Novembro 2017 10:28

BM e AT de mãos dadas na inclusão financeira

O Governador do Banco de Moçambique (BM), Rogério Lucas Zandamela e a Presidente da Autoridade Tributária de Moçambique (AT), Amélia Nakhare, assinaram recentemente, um Memorando de Entendimento, que tem por objecto o estabelecimento de uma relação de cooperação em matéria de inclusão financeira, implementação das políticas monetária, cambial e financeira, educação fiscal e aduaneira.

O referido Memorando prevê a troca regular de informação sobre matérias relativas às atribuições de cada uma das partes, a realização conjunta de trabalhos, estudos em áreas de interesse comum, a troca de experiências e a realização conjunta de acções que contribuam para a inclusão financeira e fiscal.

O BM na qualidade de entidade reguladora dos mercados monetário, financeiro e cambial, irá partilhar, com a AT, estatísticas e estudos relevantes em matéria cambial, financeira, monetária e da balança de pagamentos, e outras relativas às suas atribuições.

Por seu turno, a AT na qualidade de entidade responsável pela promoção da eficácia, eficiência e equidade das políticas fiscal e aduaneira, irá disponibilizar estatísticas fiscais e aduaneiras, e pareceres concernentes àquelas matérias.

A coordenação, implementação e acompanhamento da execução do Memorando de Entendimento estará a cargo de uma Comissão Técnica conjunta, que se reunirá ordinariamente uma vez por semestre e, extraordinariamente, sempre que se justificar.

Com este Memorando, as duas instituições estabelecem princípios orientadores para uma melhor coordenação em matérias de interesse comum, estando cientes dos resultados positivos que possam advir da implementação de acções concretas.