Abertura dos mercados: Brent alivia de máximos de 2014. Euro sobe após declarações de Nowotny

Abertura dos mercados: Brent alivia de máximos de 2014. Euro sobe após declarações de Nowotny

As bolsas europeias regressaram às quedas, depois de dois dias de ganhos a beneficiarem do alívio de tensão entre os EUA e a China. Já o petróleo está a aliviar dos máximos de 2014, atingidos na última sessão. E o euro está a subir a beneficiar da expectativa de que o BCE esteja próximo de começar a eliminar os estímulos à economia. Os mercados em números PSI-20 sobe 0,19% para 5.486,28 pontos Stoxx 600 desce 0,25% para 377,49 pontos Nikkei desvalorizou 0,49% para 21.687,10 pontos "Yield" a 10 anos de Portugal recua 0,7 pontos base para 1,719% Euro aprecia 0,18% para 1,2378 dólares Petróleo desce 0,48% para 70,70 dólares por barril Bolsas europeias em queda após duas sessões de ganhos As bolsas europeias estão a negociar em queda ligeira esta quarta-feira, 11 de Abril, depois de duas sessões consecutivas de ganhos em que estiveram a beneficiar do alívio dos receios em torno da disputa comercial entre os Estados Unidos e a China. Esta quarta-feira, as atenções dos investidores estão centradas na divulgação das actas da última reunião da Fed, que decorreu a 20 e 21 de Março, para obterem pistas sobre o ritmo de subida dos juros nos Estados Unidos. O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, desce 0,25% para 377,49 pontos, com todos os sectores em baixa à excepção do retalho e das telecomunicações. Juros caem em dia de emissão sindicada As taxas de juro implícitas na dívida portuguesa estão a cair na generalidade dos prazos. Na maturidade a 10 anos a taxa recua 0,7 pontos base para 1,719%. Esta evolução surge num dia em que Portugal está no mercado a financiar-se a 15 anos através de uma emissão sindicada. A operação está a ser realizada e a taxa que está a ser negociada implica um prémio de 105 pontos base, o que aponta para uma taxa de juro em torno de 2,3%. Euro sobe após palavras de Nowotny O governador do Banco Central Europeu (BCE), Ewald Nowotny, fez declarações que apontam para uma aproximação do fim da política expansionista do banco central. E ainda que fonte oficial do BCE tenha vindo dizer que as palavras de Nowotny não espelham a visão que impera no seio da autoridade, a verdade é que se debruçou sobre um tema de muito interesse entre os investidores. E abriu a porta a que a retirada de estímulos comece ainda em 2018. O euro está a beneficiar deste cenário, subindo 0,18% para 1,2378 dólares. Brent alivia de máximos de 2014 O petróleo segue em baixa ligeira nos mercados internacionais, depois de ter subido mais de 3% na sessão de ontem, a beneficiar do alívio da tensão entre os EUA e a China e das promessas feitas pelo presidente Xi Jinping de tornar a economia mais amiga do investimento estrangeiro. Em Londres, o Brent cai 0,48% para 70,70 dólares, após ter atingido máximos de Dezembro de 2014 na terça-feira, acima dos 71 dólares. Em Nova Iorque, o West Texas Intermediate (WTI) recua 0,40% para 65,25 dólares. Ontem, foi revelado pelo Instituto do Petróleo Americano que os inventários de crude subiram em 1,76 milhões de barris na semana passada. Hoje, serão conhecidos os dados sobre as reservas da Administração de Informação de Energia dos Estados Unidos. Ouro sobe com tensões em torno da Síria Os receios em torno da situação na Síria, que tem elevado o tom entre países como os EUA e a Rússia, está a fazer com que os investidores procurem activos de refúgio, como o caso do ouro. E é este ambiente que está a justificar a subida de 0,38% para 1.344,75 dólares por onça.
Ler 62 vezes
Avalie este item
(0 votos)

About Author