ProPesca impulsiona pesca artesanal em Sofala

ProPesca impulsiona pesca artesanal em Sofala Featured

O Projecto de Pesca Artesanal (ProPesca) está a impulsionar a actividade pesqueira em Sofala, através da conservação e escoamento da produção para vários cantos daquela província da região centro de Moçambique. A maioria dos beneficiários explica que ProPesca permite um desenvolvimento gradual da actividade, garantido a sustentabilidade de várias famílias que se dedicam à pesca e aquacultura. ProPesca é um projecto da União Europeia (UE) em parceria com o Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrário (IFAD), com um financiamento de 57 milhões de dólares. Com este montante, já foram adquiridos 89 motores que deverão ser distribuídos pelos pescadores. O projecto também contempla assistência técnica. Luís António, 40 anos, pescador há cerca de 20 anos, é um dos beneficiários, tendo conseguido um financiamento no âmbito de um acordo entre a ProPesca e o GAPI, sociedade de investimentos. “O GAPI adquiriu um motor da marca HIDEA e eu devo pagar mensalmente um valor. Este barco teve um grande impacto na minha actividade”, disse António. Sentando nas margens do rio Savane, 30 quilómetros norte da cidade da Beira, conta que o seu horizonte como pescador ampliou-se, estando, actualmente, a pescar mais distante da margem. “Antes, sem o motor, conseguíamos pescar apenas 100 quilos de peixe, mas agora atingimos por aí 300 quilos”, disse, explicando que nem todos os seus colegas tiveram acesso aos barcos, pois ainda não conseguiram reunir toda a documentação exigida pelo GAPI. “Nem todos têm bilhetes de identidade ou NUIT (Número Único de Identificação Tributária) ”, explicou a fonte. Disse que o motor do seu barco ainda não apresentou avarias, daí que continua a desenvolver a sua actividade sem grandes constrangimentos. “Este projecto tem-nos ajudado muito”, sublinhou. Ramos Mponda, piscicultor, é outro beneficiário. No início da sua actividade tinha apenas um tanque, mas com o surgimento do ProPesca o seu negócio ganhou um novo ímpeto. Actualmente, conta com sete tanques e produz anualmente pelo menos sete toneladas. “O ProPesca financiou o meu projecto através da aquisição de uma moageira que vai ajudar na minha actividade. No total, o investimento deles foi de cerca de 600 mil meticais (cerca de 10 mil dólares ao câmbio corrente) ”, disse. Explicou que vende a sua produção peixe nas cidades da Beira e Dondo, bem como no distrito de Mafambisse. “Este projecto tem cinco objectivos específicos, nomeadamente, apoio à produção e comercialização de pescado de alto valor comercial, melhoria de infra-estruturas económicas, expansão dos serviços financeiros e fortalecimento institucional.” O elevado custo da ração para peixes é um dos maiores desafios que enfrenta. “A ração está. Apesar disso, não paro com esta actividade.” Estatísticas do governo de Sofala indicam que existem cerca de 21 mil pescadores artesanais naquela província.
Ler 271 vezes
Avalie este item
(0 votos)

About Author